Pesquisar no site

O tabaco, o vício e os mitos de deixar de fumar

No dia 31 de Maio comemora-se o Dia Mundial sem Tabaco. A pensar nisso hoje abordamos a temática do tabagismo, quais os malefícios do tabaco e os principais mitos associados ao mesmo.

Estima-se que, em Portugal, entre 20 a 26% da população faça parte do grupo dos fumadores. Na Europa um milhão e duzentas mil pessoas morrem todos os anos devido ao consumo de tabaco. O hábito de fumar afeta não só o fumador como também todos aqueles que com ele convivem. Os fumadores passivos também morrem devido aos problemas que o tabaco acarreta.

Fumar provoca dependência física e psicológica. Cada cigarro tem cerca de 4000 substâncias tóxicas entre as quais a nicotina e 70 outras substâncias cancerígenas. Carbono 14, polónio 210, monóxido de carbono e alcatrão são algumas das substâncias que circulam pelo organismo de um fumador.

O tabaco é um dos principais responsáveis de inúmeras doenças graves que podem levar à morte. Cancros, doenças pulmonares, enfartes e acidentes vasculares cerebrais são alguns dos problemas mais comuns nos fumadores.

Se é fumador e pretende deixar de fumar comece por solicitar apoio de um profissional de saúde. Rodeie-se de bons hábitos, alimentação saudável e exercício físico podem ajudar a manter o foco. Começar um novo hobby também pode ajudar a manter-se ocupado evitando tempos monótonos nos quais possa sentir vontade de fumar.

Deixar de fumar pode ser um desafio, mas mantenha em mente os inúmeros benefícios que isso acarreta. Depois de passar 20 minutos sem fumar a sua pressão arterial e frequência cardíaca voltam ao normal. 12 horas depois os níveis de monóxido de carbono no sangue estão em níveis normais. Após duas semanas começa a sentir mais energia e respira melhor. Após um ano o risco de ataque cardíaco diminui para metade.

A abstinência do tabaco também acarreta alguns sintomas desconfortáveis. Pode sentir-se mais triste, irritado com insónias ou com dificuldade de concentração. No entanto, estes sintomas negativos desaparecem ao fim de alguns dias.

Para muitas pessoas deixar de fumar também significa aumento de peso e isso constitui um problema. Alguns estudos apontam que a ausência do tabaco leva ao aumento de peso, mas afinal porque é que isso acontece?

Um dos motivos pelos quais engordamos é porque a nicotina reduz o apetite. Quando deixamos de fumar passamos a ter mais vontade de comer alimentos que aumentem a nossa serotonina e dopamina. Ou seja, alimentos ricos em açucares e gorduras que nos deixem com a sensação de prazer.

Para evitar este aumento de peso existem algumas estratégias que pode adotar. Comece por ter acompanhamento de um nutricionista. Evite dietas restritivas que o podem deixar mais ansioso e levar a recaídas. Não ceda ao impulso de comer assim que sente fome pois pode tratar-se da chamada “fome emocional”. Opte por comer alimentos saudáveis entre refeições, como os frutos secos. Consuma água e faça exercício físico.

Em todo o processo de deixar de fumar é fundamental sentir-se apoiado. Comece por solicitar apoio aos seus familiares e amigos mais próximos. Mantenha-se ativo e evite locais e situações que possam motivar a vontade de fumar.

Imagens

Um lar, um idoso, uma dependência, a familia. Somos a Solução

Saber mais