A + Pesquisar no site A -

Antidepressivos: consumo duplicou nos idosos

O consumo de antidepressivos e ansiolíticos em pessoas maiores de 65 anos está a aumentar exponencialmente, alertou o psiquiatra Pedro Afonso, especialista do Hospital Júlio de Matos.

Os dados, fornecidos pela consultora IMS Health indicam que em 2012 foram prescritos 7.75 milhões de ansiolíticos e 6.1milhões de antidepressivos. Relativamente a 2011, registou-se um aumento da venda de antidepressivos e estabilizadores de humor na ordem dos 7,7 % e de 1,2% na venda de ansiolíticos.

O aumento foi exponencial na prescrição destes fármacos a maiores de 65 anos que subiu de 1.7 milhões em 2011 para 3.6 milhões em 2012, no caso dos ansiolíticos, e de 1.4milhões em 2011 para 2.3 milhões em 2012, nos antidepressivos e estabilizadores de humor.

Para Pedro Afonso, existem vários fatores que têm levado ao aumento do consumo destes fármacos, a começar pela redução dos rendimentos através da diminuição das reformas.

“São pessoas que, em muitos casos, já estão fragilizadas pela doença e que veem frustradas as suas expectativas em relação ao futuro”, revelou à agência Lusa o especialista.

Estas pessoas deparam-se com a dificuldade acrescida de terem de ajudar os filhos e sofrem também com a sua condição de desempregados e sem maneira de honrar os compromissos.

“Muitas vezes estes idosos têm de acolher os filhos em casa e até de sustentá-los, apesar de receberem menos dinheiro”, adiantou.

Pedro Afonso garante que estes casos são aos milhares em todo o país e refletem a pressão enorme a que estes idosos estão sujeitos, a que acresce, em muitos casos, a solidão em que vivem.

Imagens

Um lar, um idoso, uma dependência, a familia.  Somos a Solução