A + Pesquisar no site A -

O poder dos alongamentos.

O poder dos alongamentosVoltados para o aumento da flexibilidade dos músculos, os alongamentos promovem quer o bem-estar físico quer o mental. Reduzir as tensões musculares, prevenir lesões ou ativar a circulação são alguns dos benefícios. Por isso, tire 10 minutos do seu dia para alongar.

Apesar de suscitar alguma controvérsia entre especialistas, o alongamento pode fazer muito pela sua saúde, quer seja desportista ou não.

Para muitos alongar devia ser obrigatório, e há quem aconselhe a despender de 10 minutos, por dia, para o fazer.

Em teoria, o alongamento é uma técnica utilizada para manter ou aumentar a flexibilidade dos movimentos, mas a sua prática traz muito mais benefícios.

Aliviar as tensões do dia-a-dia, ajudando a eliminar as toxinas que o corpo produz, reduzir o stress físico e a possibilidade de contrair lesões, bem como ativar a circulação sanguínea são alguns exemplos do que um alongamento pode fazer por si.

Por outro lado, a nível mental vai ajudá-lo a desempenhar com maior agilidade as suas atividades profissionais.

Numa altura em que o sedentarismo está entre as principais causas de morte em todo o mundo, vários estudos vêm demonstrar que a prática regular de exercícios de alongamento ajuda na prevenção de doenças.

Quer tenha uma vida mais sedentária ou pratique uma atividade física intensa regular só tem a ganhar com esta medida. Na realidade, quer um grupo quer o outro acaba por perder a sua flexibilidade, graças ao encurtamento das fibras musculares (provocado quer pela ausência de exercício, quer por exercícios muito intensos).

Sabe-se que esta é uma das consequências, por exemplo, de alguns desportos como a corrida, ciclismo ou natação, que fortalecem os músculos mas diminuem a sua flexibilidade.

Deste modo, em ambos os casos, é importante alongar, uma vez que, o encurtamento das fibras musculares leva a uma maior probabilidade de desenvolvimento de problemas nos ossos e músculos.

É, por esta razão, que a queixa mais frequente, apresentada tanto por atletas ou indivíduos mais sedentários, seja a dor lombar.

De acordo com Bob Anderson, o especialista em alongamentos mais conhecido em todo o mundo, o alongamento é uma forma simples e indolor de nos prepararmos para o movimento. Movimento esse que pode ser uma simples tarefa do quotidiano como atar os sapatos, por exemplo.

Segundo o especialista, podemos aprender muito sobre o tema observando os animais que, instintivamente, sabem como alongar.

“O gato alonga-se de um modo espontâneo. Nunca alongando mais do que o adequado, preparando os músculos que precisará usar”, explica.

Deste modo, defende que os exercícios de alongamento devem ser adequados à estrutura muscular, flexibilidade e aos diversos níveis de tensão de cada um. “Cada pessoa é um ser único, física e mentalmente, com seus ritmos próprios. Somos todos diferentes no que refere à força, à resistência, à flexibilidade e ao temperamento”, justifica.

Para os especialistas da área, não há limites de idade para a prática de alongamento. Bob concorda, “os alongamentos podem ser feitos por todos e sempre que sentir vontade”.

Na realidade, podem praticar-se no trabalho, no carro, depois de uma caminhada ou até na praia. O importante é que alongue antes e depois de uma atividade física, mas também em diversos momentos do seu dia.

Pela manhã ao acordar, no trabalho para aliviar tensões, após estar sentado ou de pé durante um período prolongado, ou quando se sentir tenso, por exemplo.

Os alongamentos devem começar com suavidade, não devendo ir para lá do ponto onde começar a sentir uma pequena tensão.

É importante que relaxe e que se sirva da sua própria respiração para realizar todos os movimentos.

A respiração deve ser lenta, ritmada e controlada. “Não prenda a respiração enquanto estiver alongado”, refere Bob Anderson.

Após sentir que a tensão diminuiu, aumente o alongamento delicadamente até obter uma sensação mais intensa. Mantenha a postura e repita. Repita estes exercícios todos os dias e veja a sua condição física e mental melhorar.

Se ficou com vontade de experimentar, procure a ajuda de um profissional e leia mais sobre o assunto. Só tem a ganhar!

In: Atlas da Saúde

Um lar, um idoso, uma dependência, a familia.  Somos a Solução