A + Pesquisar no site A -

Alimentos contra a dor de cabeça.

Alimentos contra a dor de cabeça.Perturbações do sono, stress, hábitos alimentares e até mudanças bruscas de temperatura podem estar na origem das dores de cabeça. Selénio, magnésio, ómega3 ou vitamina B12 são alguns dos nutrientes que o podem ajudar a aliviar os sintomas.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 75 por cento da população, entre os 18 e os 65 anos, sofre de dores de cabeça (enxaquecas ou cefaleias de tensão).

Em Portugal, estima-se que um em cada sete adultos sofra de enxaquecas, sendo as mulheres as mais afetadas.

Entre as causas, que podem ser genéticas, encontram-se as alterações dos padrões do sono, stress ou ansiedade, alterações climatéricas ou os maus hábitos alimentares. Sabe-se, aliás, que passar por longos períodos de jejum ou ter uma dieta pobre em determinados nutrientes pode potenciar o aparecimento e agravamento destes sintomas.

Magnésio, selénio, ómega-3 e vitamina B12, a par dos antioxidantes, são os nutrientes que deve privilegiar, à mesa, se quiser combater as dores de cabeça.

O papel do magnésio neste combate tem sido demonstrado em vários estudos. A concentração deste nutriente no nosso organismo afeta os receptores de serotonina, responsável por regular a percepção da dor e a nossa disposição, bem como outros receptores e neurotransmissores relacionados com a enxaqueca.

Por outro lado, o magnésio tem uma ação relaxante que pode ajudar a aliviar a dor de cabeça, quando a sua causa se deve ao stress ou ansiedade, e tensão pré-menstrual.

Recomenda-se, deste modo, a ingestão diária de 350 a 400mg de magnésio, presente em alimentos como o espinafre, amêndoas, sementes de abóbora, alcachofra, feijão preto ou chocolate.

O selénio presente no salmão, ostras ou farelo de trigo, por exemplo, protege-nos dos radicais livres.

Na realidade, este mineral tem a capacidade de eliminar os metais tóxicos do nosso organismo, que não só contribuem para o aumento dos radicais livres como podem causar sintomas de enxaqueca e potenciar o desenvolvimento de doenças neurológicas, como Alzheimer ou Parkinson.

Especialistas em nutrição recomendam que ingira, pelo menos, 55mg deste mineral por dia.

O ómega-3 presente no salmão, sardinha, arenque, atum ou semente de linhaça tem uma ação anti-inflamatória.

O consumo em excesso de gorduras e produtos refinados promove a produção de substâncias que desencadeiam estados inflamatórios, causando a dilatação dos vasos e, consequentemente, promovendo o aparecimento de dores de cabeça.

A ingestão de apenas 2g por dia de ómega-3 garante-lhe proteção contra estes estados.

A vitamina B12, por seu lado, é essencial para o funcionamento do sistema nervoso, evitando alterações de sensibilidade no corpo que podem conduzir às dores de cabeça.

Ao redor dos nossos nervos existe a chamada bainha de mielina que, para além de servir de “capa” protetora, atua ao nível da passagem do estímulo nervoso.

A carência de vitamina B12 é capaz de provocar uma falha nesta “barreira” protetora dos nossos nervos

Atum, ovos, leite ou marisco são alimentos ricos em vitamina B12.

As substâncias antioxidantes são, também, vivamente aconselhadas para o combate à dor de cabeça. Tal como o magnésio, têm a capacidade de combater os radicais livres e libertar o nosso organismo de substâncias tóxicas. Esta ação contribui para o equilíbrio metabólico, melhorando a circulação e amenizando, como consequência, os sintomas da dor.

Cenoura, mamão, vegetais de folha verde e óleos vegetais são exemplos de alimentos ricos em antioxidantes.

In: Atlas da Saúde

Um lar, um idoso, uma dependência, a familia.  Somos a Solução