A + Pesquisar no site A -

Envelhecimento ativo tem impacto no combate ao stress?

Envelhecimento ativo tem impacto no combate ao stress?Investigadores da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra iniciaram um estudo para perceber se o envelhecimento ativo, nomeadamente a educação e o lazer, têm impacto no combate ao stress na população idosa.
 
O estudo, liderado por Ricardo Pocinho e que conta já com 620 indivíduos de todo o país, pretende perceber se há uma relação entre a capacidade que a pessoa idosa tem para lidar com situações que lhe causam stress e a educação e o lazer.
 
O investigador explicou à agência Lusa que o estudo tem como objetivo analisar o percurso formativo e educativo das pessoas inquiridas (todas com mais de 65 anos) ao longo da vida, bem como perceber as atividades de lazer que estas frequentam ou frequentaram.
 
Dessa forma, pretende-se perceber "se a atividade que seja considerada lazer contribui para a capacidade para lidar com problemas" que surgem na vida dos idosos, referiu.
 
O estudo surge no seguimento de outros dois realizados por Ricardo Pocinho em 2014 e 2015 sobre a importância das universidades seniores na qualidade de vida e bem-estar dos idosos, e sobre o turismo sénior, respetivamente.
 
A investigação foi criada "pela ideia de continuidade na perceção de fatores" que garantem qualidade de vida em pessoas com mais de 65 anos, apontou.
 
O objetivo do estudo, financiado com meios do próprio e fora do âmbito de qualquer centro de investigação ou instituição do ensino superior, passa por "traçar um perfil" e definir "estratégias" para que pessoas "com 40 anos saibam qual o caminho para poderem envelhecer ativamente", sublinhou.
 
De acordo com Ricardo Pocinho, não "são as pessoas de 80 anos que têm de ter estratégias", sendo que o envelhecimento ativo tem de ser pensado antes das pessoas entrarem na terceira idade.
 
In: Agência Lusa

Um lar, um idoso, uma dependência, a familia.  Somos a Solução